Palhoça sai na frente e define prazo para implantar transporte marítimo na cidade

Palhoça sai na frente e lança transporte marítimo
Palhoça sai na frente e lança transporte marítimo (foto: divulgação)

Enquanto a Capital catarinense – que tem cerca de 90% do território em uma Ilha – fica se enrolando, Palhoça definiu nesta segunda-feira o prazo para instalar o transporte marítimo na cidade. A partir de agora, em até seis meses as embarcações devem estar na água transportando as pessoas a um custo estimado de R$ 4,50.

Foi assinado na tarde desta segunda-feira o contrato entre a prefeitura e a empresa Iguatemi Consultoria e Serviço de Engenharia Ltda. A empresa é a vencedora do processo licitatório que vai prestar consultoria para a elaboração dos projetos técnicos básicos solicitados pela Superintendência do Patrimônio da União.

Segundo a assessoria da Prefeitura, “a empresa irá, de quebra, desenvolver a viabilidade socioeconômica para a criação do Sistema de Transporte Marítimo de Palhoça”. O investimento está orçado em R$ 20 milhões e será da iniciativa privada, segundo a Prefeitura.

Com os projetos em mãos, a próxima etapa é definir, em novo processo licitatório, a concessão do serviço. A empresa tem 60 dias para concluir os projetos e a estimativa do prefeito é de colocar em 180 dias a embarcação nas águas de Palhoça.

Os projetos devem indicar os pontos de embarque e desembarque, a capacidade de passageiros, o tipo de embarcação, a velocidade média do veículo, enfim, todos os possíveis questionamentos, criando critérios, métodos e cumprindo as exigências que devem ser apresentados para o SPU e para o funcionamento do sistema em Palhoça.

A princípio será instalado apenas no município de Palhoça e deverá oferecer aos usuários quatro pontos de embarque e desembarque nas localidades da Ponte do Imaruim, Praia de Fora, Enseada de Brito e Pinheira.

Depois da lei municipal implantada no final do ano passado, Palhoça lançou o edital em 31 de outubro último para escolher a empresa responsável por desenvolver o projeto de transporte hidroviário de passageiros.

Na Capital, Cooperbarco faz transporte em 28 barcos
Na Capital, Cooperbarco faz transporte em 28 barcos (foto: Danilo Duarte)

Em Florianópolis, o único trecho em que há transporte marítimo é na Lagoa da Conceição, que existe há aproximadamente 10 anos. O serviço é gerenciado pela Cooperbarco, uma cooperativa de barqueiros. Ali, são 28 embarcações que fazem 30 horários por dia.

O dinheiro arrecadado com as passagens (R$3,20 para turistas e R$2,10 para moradores) é dividido entre todos os associados. Pena que a estrutura do terminal, que deveria ser mantida pela Prefeitura, nem sempre está bem cuidada. (Fiquei feliz quando fiz uma matéria denunciando o descaso e provocou a reação governamental).

Anúncios

Um comentário em “Palhoça sai na frente e define prazo para implantar transporte marítimo na cidade

  1. O que dizer então de Itajaí, caro amigo? Ter um ferry-boat atravessando pra lá e pra cá não significa bom uso do transporte aquático. Temos dois rios que, bem aproveitados, podem possibilitar a locomoção a todas as partes da cidade, ou até a outras cidades.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s